sexta-feira, abril 24, 2015

Um coração que não nasceu - Parte I

Meu coração chora sangue!
Um dos meus maiores medos é morrer afogada, porém vejo-me sendo inundada cada vez mais em medos, angústias e fraquezas. Uma fobia descontrolada e cheia de cicatrizes e feridas não curadas, que começa a crescer em meu subconsciente, que suspira desesperadamente por libertação.
Um delírio, uma loucura, uma premonição.


Minhas veias pulsam ansiedade continua!
Elas insistentemente me dizem o quanto sofrem por até hoje, conseguirem suportar tantas palavras hediondas que continuam a correr em passos lentos em meu sangue, penetrando cautelosamente todos os meus nervos e maltratando ainda mais os meus pés.
Uma cura, um sonho, uma esperança!

Minha memória revive o sofrimento!
Vários pensamentos simultaneamente percorrem para procurar as palavras vividas e resgatá-las, mostrando-me as imagens que até então, meu coração achou ter esquecido. Vagarosamente, vejo-me sendo soterrada nas mais delicadas, porém sofridas lembranças das quais me fizeram sentir a dor, como se andássemos em flores venenosas.
Uma visão, um vazio, um reencontro!
Continua.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seguidores Google +